17 maio 2010

AMANHÃ

Amanhã, quando abrir os olhos, ao acordar
minhas palpebras cortarão uma fita vermelha, dessas de inaugurar.

Amanhã, assim que os pés sairem da cama para o chão,
haverá uma faixa pintada; uma chegada; uma revolução.

Amanhã, quando o dedo chamar o elevador,
acontecerão fogos, música e cor.

Amanhã, o som do carro que tantas vezes me deixou na mão,
gritará coros de torcidas; choro de alegria; festa e palavrão.

Amanhã meus passos, apesar de pra frente,
subirão um tantinho de nada, coisa pouca, levemente.

Amanhã, Minha boca, menina,
sacará os dentes, em tiros largos de bombinha.

Amanhã minha mente vai abrir seu diário,
Vai reler seu inventário; entenderá finalmente.
E quando tudo chegar, vai virar mais uma página,
e escreverá em letras grandes: "Vamos em frente"

05 maio 2010

ÚLTIMAS

Pois é, como vocês ( que é uma palavra que aqui significa familia + 7 amigos ) já notaram, ando dando um tanto de nehuma atenção ao Blog. E eu me explico com vários motivos:
Primeiro que descobri essa desgraça de programinha de edição que tem sugado todas as minhas idéias pra dentro dele. Segundo que tenho ralado bastante lá na oficina de atores da Record...é verdade que ela já acabou tem uma semana, mas ainda é uma boa desculpa!
Terceiro que nessa última semana estive em Recife ocupadíssimo no exercício do orgulho. O filho-de-familia-pequena-porém-honesta "Léo e Bia" fez sua estréia no CINEPE e eu fui lá babar ao ver nosso filme exibido para 2.500 pessoas, com uma tela colossal e um som de levantar defunto! Com direito a 3D! Um morceguinho safado que invadiu o cinema durante uma cena...mas ele voou com muito profissionalismo, o que não atrapalhou muito.
O fato é que acabamos abocanhando dois prêmios: Melhor atriz para Paloma e melhor trilha.
Isso me fez rir sozinho...tudo bem que a trilha é do Oswaldo, mas eu como intérprete achei bastante irônico que depois de dez anos na música eu seja premiado como ator cantando...irônico e bom pra caralho! Dever cumprido!
E é por essas e outras que o queparadinha, essa coisa linda, tá devagar...mas tá aqui...não vai a lugar nenhum e logo logo aparece uma loucura que só funciona na escrita, ou um vírus no programinha de edição.

08 abril 2010

DE CERTA FORMA...

...essa chuva toda teve seu lado bom. ( que pecado estar falando isso. Claro que não teve lado bom, foi só uma forma infeliz de que...) Apesar de todas as catástrofes, eu fiquei ilhado dentro de casa e acabei brincando de editar vídeos, que agora apresentarei pra vocês.

O primeiro era uma dívida que tinha com meus queridos amigos Tobé e Fernando. Há tempos eu devia esse vídeo a eles:




O segundo é um singelo pedido de arrego a São Pedro. Já entendemos a brincadeira, velho!

30 março 2010

BARULHO

ELA: Amor..acorda...você escutou?

ELE: Quê?!

ELA: Você escutou?

ELE: Escutei, por isso eu perguntei...

ELA: Perguntou o que?

ELE: "O quê".

ELA: Você tá brincando?!

ELE: Não, você me chamou, eu escutei e perguntei o que..ué?!

ELA: Não acredito que tem um ladrão na nossa casa e você agora vai ficar brincando de "é, não e por que"!

ELE: Ladrão?!

ELA: É!

ELE: Pééé...perdeu, falou "é"..agora dorme...

ELA: Ricardo! Eu tô falando sério! Eu ouvi um barulho lá na cozinha...

ELE: É a geladeira...

ELA: Não, não é a geladeira, eu conheço muito bem o barulho da geladeira e o que eu escutei não foi a merda da geladeira!

ELE: Foi o que?

ELA: Foi o micro-ondas!

ELE: Cê tá falando sério?

ELA: Claro que não, Ricardo. Meu Deus do céu, se eu soubesse o que era o barulho eu não teria te acordado!

ELE: E você acha que eu, dormindo, vou adivinhar qual é o barulho?

ELA: Não, seu frouxo, você vai lá na cozinha ver o que é!!

ELE: Eu?! Mas eu nem ouvi o barulho!

ELA: Você só pode estar de brincadeira...você quer que eu, a mulher, vá até lá?

ELE: Qualquer coisa grita...

ELA: Levanta já o rabo dessa cama e vai lá ver.

ELE: Ok, como era o barulho?

ELA: Como assim "como era o barulho"...era um barulho ué...

ELE: Descreve o barulho...

ELA: Foi um barulho...barulho...como qualquer barulho!

ELE: Meu amor, você está caindo em contradição, você disse agora mesmo que não era o barulho da geladeira...

ELA: Pelo amor de Deus Ricardo, se for um bandido ele já deve saber que a gente está aqui e pode estar vindo matar a gente...

ELE: Negativo...se ele estivesse subindo a gente ouviria barulho de passos...viu só, eu sei descrever um barulho! Boa Noite.

ELA: Ele pode estar subindo devagar pra pegar a gente de surpresa...você não vê filmes? E eu sei sim descrever um barulho tá? Era um barulho suspeito.

ELE: Márcia, se tem uma coisa que você não pode discutir comigo é sobre filmes, ok? primeiro, se fosse um bandido ele poderia subir sapateando o duo do Gene Kelly e Frank Sinatra em "Marujos do Amor" porque ele tem uma arma e a gente não; dois: Nos filmes, os barulhos na cozinha são sempre uma outra coisa qualquer pra dar o primeiro susto em quem está assistindo, não faz sentido um bandido fazer um esporro na cozinha e subir as escadas em silêncio, além do mais que que ele tá roubando na cozinha?! Os copos de geléia de mocotó?! E três: Barulho suspeito é peido em sala de reunião.

ELA: Mas...

ELE: Quatro: Te amo. Beijo. Vai Dormir. Tchau.

ELA: Você só não me disse o que era o barulho na cozinha, gênio!

ELE: Um Guaxinim.

ELA: Um guaxinim?!

ELE: Dois guaxinins, três, cinco! Pelo amor de Deus Márcia, eu tenho reunião amanhã cedo!

ELA: Ricardo, Guaxinim no Méier?! Guaxinim no Brasil?!

ELE: Ótimo, então era uma ararinha-azul e um mico-leão-dourado.

ELA: Você é patético, Ricardo. Isso tudo só porque você tá com medo de ir lá.

ELE: Medo?

ELA: É, tá com medinho, frouxo! Tá se cagando de medo...

ELE: É to me cagando, vai ver fui eu que soltei o seu barulho suspeito!

ELA: Legal, você não vai né? Então eu vou.

ELE: Não, deixa que eu vou.

ELA: Não cagãozinho, pode ficar ai com seus guaxinins eu vou lá...

ELE: Eu tô dizendo que eu vou, não era isso que você queria?

ELA: Queria, Ricardo, queria! Queria tanta coisa! Queria que você se cuidasse mais, queria ter nossos filhos, queria ir pra Paris nas férias, queria não ter que trabalhar nunca mais, E queria ter um marido que tivesse culhão de ver a droga do barulho na cozinha!!!

ELE: Pssssssssiiiiiii....Fala baixo, Márcia!

ELA: Eu falo como eu quiser, Ricardo! Cansei...

ELE: Você quer que ele te escute? Hein?

ELA: Meu Deus do céu, Ricardo! Você acha que é um assaltante mesmo?

ELE: Não sei, não sei, mas a gente também não pode arriscar né?

ELA: Ai amor, eu to com medo...

ELE: Calma, meu amor. Olha, se você diz que ouviu um barulho suspeito, eu acredito em você.

ELA: Jura?

ELE: Juro. Eu confio em você, e...me desculpa.

ELA: Tudo bem, amor. Vai ver foi a geladeira mesmo.

ELE: Não, eu tô falando sobre todas essas coisas que você tá dizendo. Sobre nosso casamento, seus planos...NOSSOS planos...eu acho que de certa forma eu acabei me acomodando e esquecendo o quanto você é maravilhosa pra mim, e o quanto você merece mais!

ELA: Ô meu amor, você também é maravilhoso, eu acho que é a gente, a gente merece mais. Eu sei que você passa um aperto danado naquele escritório...eu só me sinto um pouco sozinha as vezes, é só isso, mas você é o amor da minha vida.

ELE: Eu te amo.

ELA: Eu te amo mais!

ELE: Eu te amo muito mais...e eu prometo estar mais presente, e te dar tudo que você merece...

ELA: Eu só quero o que a gente sempre teve, essas pequenas coisas que fazem da gente o casal mais lindo do mundo!

ELE: Engraçado né? Que através de uma dessas pequenas coisas a gente perceba nosso erro...por causa de um barulho da geladeira...

ELA: Não senhor...era um Guaxinim...dois, três, cinco!

ELE: Vem cá, vem.

ELA: Hummmmmm....

ASSALTANTE: Aí, vamo parando com essa putaria aí! Eu quero os dois deitados no chão com a porra da boca fechada senão eu vô descer o dedo! E não olha pra mim não, vagabunda!

21 março 2010

CURVA

A sexta-feira é o desencargo do que a semana inteira esconde.
Hoje é sábado. E daí?
Não é o sábado apenas uma sexta-feira da sexta-feira?
Tô eu aqui, comendo o que a geladeira me propõe( além do futuro ), e pensando nas curvas. A vida é feita delas.
Esquerda e direita.
Preto e branco.
Triste e feliz.
Erro e acerto.
Sim ou não.
Simples assim.
Ou não? Ou sim?
Aqui está uma delas.
Curvas.
Vai concordar ou negar?
A curva é o risco, mesmo que, irônicamente o risco seja sempre associado à reta, mas isso não vem ao caso.
O risco de sair do foco e entortar a vida. Mais, e mais, e mais...até virar um circulo.
E você? Tá sentado, ou tá em pé?
Mais umas curva, hein?
E você nem percebeu...
Mas há tempo...há tempo...
Pense em tudo, ou não pense em nada...só lhe peço um favor, um único favor. Quando chegar a curva, com toda sua insinuosidade questionável, só não siga reto.

17 março 2010

GROSSERIAS

ELE: Eu acho sacanagem as pessoas recriminarem as cantoras de Funk.

ELA: Cantoras?! Que cantoras?! A Vanessa Popozuda não é cantora!

ELE: Valeska.

ELA: Valeska, Vanessa...tanto faz. O que importa é que elas não são nada.

ELE: Não são nada pra você, mas pense quantas "valeskas" existem por aí tentando a posição que só a Valeska Popozuda conseguiu. Cada batalha é uma batalha.

ELA: Não vejo lógica.

ELE: A lógica é simples, você não pode comparar um Condor dos Andes com uma libélula da Malásia só porque os dois voam.

ELA: Entendi...o assunto é bicho né? Eu tinha me esquecido que você só gosta de cachorra.

ELE: É...aliás, acho que essa é uma boa hora pra dizer que eu sou apaixonado por você.

ELA: Ahhh que simpático. Pede até uma comemoração...quer mais um chopp?

ELE: Sim, por favor.

ELA: Toma, fica com o meu. Eu vou embora.

15 março 2010

LIVROS

Ele foi direto ao guichê de consultas. Algum livro dentre os 37 títulos que pesquisara tinha que estar em conta. Chegou três segundos antes da menina morena.

- Você tem "suicídios exemplares"?

- Deixa eu dar uma olhada... - Respondeu o atendente com uma cara de quem não se espantava mais com a imensa e questionável variedades de nomes criativos.

- Tem sim. Eu vou buscar pra você.

Nesse meio tempo ele aproveitou para notar a morena parada ao seu lado. Na verdade, do outro lado do computador.
Tinha uma bela panturrilha, usava um vestido azul que cobria as coxas, mas o desenho na linha da cintura garantia uma boa surpresa. Barriguinha, ou era zero, ou estava devidamente escondida, mas nada que pudesse comprometer a qualidade daqueles peitos, nem o colo, muito menos o pescoço e por fim, aquele rosto comum ( porém interessante ) exibindo uma feição estranha. Ou de estranhamento.
A ficha caiu.
Ele era um tarado.
Um cara que acabara de pedir um livro chamado "Suicidios exemplares" e que agora analisava sua vítima de cabo a rabo sem o menor pudor.
Esse não era ele. Ou melhor, até era, mas não intencionalmente. O que importava é que indubitavelmente, era o que ela pensava.
O atendente voltou com o livro, e ele sem saber o que fazer, pediu uma outra consulta para tentar se redimir perante à mulher.

- Vê se tem também o " Extremamente alto e incrivelmente perto".

O atendente o encarou como quem diz " Você já pensou em ler livros normais?!".

- Tem sim, vou dar uma olhada pra você. - Repetiu de forma quase ensaiada, depois de um suspiro baixo porém audível.

Nova saída do cara, novo constrangimento da mulher.
Agora ela o olhava como, além de tarado suicída, um maníaco depressivo.

- Prometo que é o último. - Disse ele nervosamente com um sorriso.

- Tudo bem. - Disse ela.

O atendente voltou.
- Desculpa, mas acabou no estoque, só por encomenda.
- Tudo bem, obrigado. - Ele respondeu se retirando o mais rápido possível. Porém, não tão rápido que pudesse deixar de escutar o título o qual a menina procurava. "Velocidade". Um de seus livros favoritos. Fez aquela cara de "lembrei de algo" e voltou triunfante...

- A senhora sabe o nome do autor?

- Dean Koontz - Respondeu o Tarado psicopáta suícida. - D-E-A-N-K-O-O-N-T-Z.

- É...é esse mesmo. - Disse a menina com um certo brilho nos olhos.

- Lamento, mas também só por encomenda. - Respondeu o atendente no meio dos dois.

O Tarado não parou por ai:
- Na Conde de Bonfim, Livraria Eldorado, segunda Loja, Sub-solo, Sebo. Lá você vai encontra-lo por 20 reais, no máximo.

- Obrigada. - Respondeu ela, vacilante.

- De nada. - Disse ele com um sorriso. - Agora procure aí pra mim o "Veredicto de chumbo" do Michael Connelly.

Ela se foi sem tirar os olhos do rapaz, e ele ficou ali apenas curtindo o momento quase cinematográfico que acabara de criar.

E a vida seguiu.

02 março 2010

NUM BLOQUINHO QUALQUER - PARTE 2

Cara1: Bicho, olha aquela morena ali...

Cara3: Que rabo...

Cara1: Casava...

Cara3: Comia agora e fazia quentinha pra janta...

Cara2: Nossa, que belezinha...

Cara3: "Que belezinha"?

Cara2: Não é?

Cara1: "belezinha" é foda...

Cara2: Foda porque?

Cara3: Porque é assim que o Popeye chama a Olívia Palito...

Cara1: Podes crer...

Cara2: Mas o Popeye é legal!

cara3: É, é bem legal...pra quem tem cinco anos...

Cara2: Legal era o Dudu, que passava o dia inteiro na Larica comendo hamburguers..

cara2: Ahh eu acho o Popeye legal...

cara3: Cala a boca.

cara2: Vai começar.

Cara3: Você que começou.

Cara1: Lembram do Alice?

Cara2: Eu não comecei nada, eu só falei que aquela morena era uma belezinha...e com todo direito, eu não preciso ficar dizendo essas baixarias pra conquistar uma mulher.

Cara3: Ninguém tá falou em conquistar ninguém...( para Cara1 ) Que Alice?

Cara1: Alice era um gigante que morava numa ilha, e aparecia no Popeye de vez enquando e que não falava nada a não ser "mimimi"

Cara2: Não..."mimimi" era a voz dos adultos do Snoopy.

cara3: "mimimi" é o que eu escuto dentro da minha cabeça quando você fala alguma coisa...sabe quem é foda mesmo? O brutus...

cara1: Mas ele sempre perdia...

Cara2: Tinha um personagem do Muppets que também fazia "mimimi"...que falta de imaginação...

cara3: Perdia nada...o Popeye era um corno. O Brutus sempre tirava uma casquinha da Olívia e ela vivia dando mole pra ele...

Cara1: Mas perdia ela no final...

Cara2: Perdia!

Cara3: Perdia o que? Aquela voz irritante? De cuidar daquele bebezinho sobrinho dela?

Cara2: Gugu.

Cara3: caguei.

Cara1: Faz sentido...mas ela não dava mole pra ele, tanto que ela pedia socorro e ia embora com o Popeye.

Cara2: Ia mesmo.

Cara3: Bicho...o Popeye era marinheiro! malhava de graça, tinha emprego fixo, alimentação, plano de saúde...

cara1: Putz...e viajava direto...agora eu saquei...

Cara2: Eu não...o que é?

Cara3: Novidade.

Cara1: A Olívia rendia pro Brutus...e fazia pose quando o Popeye voltava...

Cara3: A porra da mulher era uma desequilibrada...dava pro Brutus, que, diga-se de passagem...

Cara1: Era desempregado...

Cara2: Desempregado?

Cara3: Desempregado, e depois que vislumbrava o futuro com o cafajestão, ia pedir arrego pro corno do Popeye.

Cara2: Olha lá a morena de novo...

Cara3: Vontade de dormir dentro daquela bunda...

Cara1: Cair de cara...

Cara2: Eu passei a gostar de espinafre por causa do Popeye.

Cara3: Eu passei a gostar de bundas por causa da sua mãe.

Cara1: Pegou pesado...

Cara2: Que isso, cara?!?!

cara3: Pesado? Como assim pesado..a mãe desse ai é mó gostosa...

Cara1: Mas não precisa falar assim...

Cara2: Como assim, "mas não precisa falar assim?" Vocês ficam de olho na minha mãe?!

Cara3: Na verdade, seu pai é que deveria ficar de olho nela...

Cara1: Ihhh fudeu...

Cara2: Vocês só falam besteira...

cara1: A gente só ta falando a verdade...

Cara3: Você preferiria que a gente falasse da sua mãe pelas costas?

Cara2: Não, mas poxa...

Cara1: E o Gugu?

Cara2: Que Gugu é esse?!

Cara3: Que que tem o Gugu?

Cara1: Sei lá né...uma criança, ficar vivendo nesse mundo de orgias da Olivia...

cara3: rapaz...ese já ta perdido. Aliás, é mais uma prova da vagabundagem da Olivia...quem é que cuidava dele?

Cara2: Vocês estão mudando de assunto...

Cara1: O Popeye?

Cara2: Quem mais fala essas coisas da minha mãe?

Cara3: Claro que não...o Popeye bancava as contas...

Cara1: Ótario...

Cara2: Vou ficar aqui esperando vocês me contarem...

Cara3: Rapaz, então senta que a lista é longa...( para cara1) Quem cuidava era o maconheiro do Dudu...que não era Tio, nem parente, nem vizinho...

Cara2: Lista longa?!?

Cara1: Rapaz...o que o Dudu era?

Cara2: Poxa...logo a minha mãe...

Cara3: Cliente, bicho. Cliente. O Dudu era cliente da Olívia...

Cara2: Que absurdo.

Cara1: Porra! Mas será que a Olivia era traficante?

Cara3: Muito provavelmente...

Cara1: E o Brutus fornecedor!

Cara3: Não...acho que não...o Brutus era malandro, tava ali só pra encher a cara e passar o rodo na Palito...

Cara2: Tá...eu perdoô vocês.

Cara1: Que?

Cara3: Perdão de que?

Cara2: Por falarem da minha mãe.

Cara3: Ninguém aqui tá arrependido.

Cara2: Você eu sei que não.

Cara1: desculpa cara, mas nem eu. Sua mãe é gostosa mesmo.

Cara3: Acho que poderia ser a tal da Alice...

Cara2: Tá, mas não precisa ficar falando dela assim...

Cara1: É "o" Alice. O bicho era homem...ou não...sei lá...era tipo um monstro...

Cara2: Ele era um nativo.

Cara1: De onde?

Cara2: Da tal da Ilha. Existiam vários deles...

Cara3: Tá explicado. Ilha, nativos, Falavam enrolado...plantação.

Cara1: E das brabas...

cara2: Caramba!

Cara3: Um exército de nativos para plantar e colher...e o Alice, o cabeça.

Cara1: Que bizarro.

Cara2: A verdade dói.

Cara1: A gente já parou de falar da sua mãe, cara. Dá um tempo.

Cara2: Não. Tô falando do Popeye mesmo. Coitado...se ele soubesse de metade disso tudo...imagina...

Cara3: Relaxa..a vida tá cheia de Popeyes por aí...

Cara2: É triste.

Cara1: Poderia ser qualquer um de nós...

Cara2: Ou alguém próximo...

cara3: Pois é...veja seu pai, por exemplo...

26 fevereiro 2010

AFIRMAÇÕES MUSICAIS

- MELHOR CENA DE CLIP QUE EXISTE É O SLASH SOLANDO NA PORTA DA IGREJA EM "NOVEMBER RAIN"

- O BRUNO DA DUPLA "BRUNO E MARRONE" É MAIS ROCK'N ROLL DO QUE O DINHO OURO PRETO.

- A MÚSICA "ANGEL" DO MASSIVE ATTACK É O SOM QUE DÁ MAIS TESÃO NA FACE DA TERRA.

- "GORILA E PRETO" É UMA DUPLA DO CARALHO.

- OS DOIS MELHORES DISCOS DO MUNDO SÃO "DARK SIDE OF THE MOON" E " MAD DOGS AND ENGLISH MAN"

- EU QUERIA COMER A GUITARRISTA QUE IRIA TOCAR COM MICHAEL JACKSON NO THIS IS IT.

- O LEONARDO É A VERSÃO BRASILEIRA DO ROBBIE WILLIANS

- THE POLIPHONIC SPREE É O TIPO DE BANDA QUE TE DEIXA BEM EM QUALQUER SITUAÇÃO

- ENQUANTO O CHRIS CORNELL FUMAR CINCO MAÇOS DE MARLBORO VERMELHO POR DIA EU NÃO PARO DE FUMAR.

- O CHIMBINHA É, SEM DÚVIDA O GUITARRÊRO BRASILEIRO.

- APESAR DE TUDO, O LATINO SABE GANHAR DINHEIRO.

- A MART'NÁLIA DEVE TER O PAU MAIOR QUE O MEU.

- A VERSÃO DE "VACILÃO" FEITA PELO SEU JORGE E BADI ASSAD É MUITO MELHOR QUE A DO ZECA PAGODINHO.

- AFROCIBERDELIA É UM ÁLBUM OBRIGATÓRIO

- A MELHOR VERSÃO DE UMA MÚSICA QUE EU JÁ VI É "CRAZY LITTLE THING CALLED LOVE" FEITA PELO JOSH KELLEY

- EASY STARS ALL STARS: O "DUB SIDE" É BOM, O " RADIODREAD" É MÉDIO.

- RANDY NEWMANN É O CARA QUE SABE FAZER O FEIJÃO COM ARROZ MAIS IRADO DO PLANETA

- NÃO DÁ PRA NÃO GOSTAR DE BLACK EYED PEAS.

- APESAR DE NÃO TOCAREM NADA, MONKEYS É UMA PUTA BANDA.

- NÃO DÁ PRA IR À PRAIA SEM OUVIR "PET SOUNDS" DO BEACH BOYS

- A MELHOR DUPLA MUSICAL DO MUNDO SE CHAMA "BLUES BROTHERS".

- A MELHOR CENA DE CINEMA ENVOLVENDO UMA MUSICA É A DO "QUANTO MAIS IDIOTA MELHOR"

- PANIC AT THE DISCO É SIM UMA BANDA MANEIRA.

- KEITH MOON TINHA TODO DIREITO DO MUNDO DE SER MALUCO.

- LOS LOBOS É UM SOM QUE DEVERIA SER MAIS OUVIDO

- EU CHOREI VENDO O FINAL DE SCHOOL OF ROCK, COM A "ZACH'S SONG".

- GUANTANAMERA FOI COMPOSTA PARA QUE OS GUERRILHEIROS CANTASSEM PARA SUAS MULHERES ANTES DE IR PRA BATALHA...GUANTANAMERA É COMO CHAMAM AS MULHERES DE GUANTANAMO.

- OLD SCHOOL DE VERDADE É A GUITARRA DO BO DIDDLEY

- SEGURA NA MÃO DO STEVIE VAI.

- ENTRE AS BANDAS QUE EU GOSTARIA DE TER VISTO ANTES DO FIM, ESTÃO: PINK FLOYD, SUPERTRAMP E MAMONAS.

- ALGUÉM PRECISA AVISAR AOS RAIMUNDOS QUE ELES JÁ ACABARAM

- JOÃO PENCA E SEUS MIQUINHOS AMESTRADOS E UM NOME FODÃO. E UMA BANDA FODA TAMBÉM.

- A ANGELA RORÔ DEVE TER UM PAU MAIOR QUE O DA MART'NÁLIA

- GIPSY KINGS, SKAPE E DESMOND DEKKER FAZEM UM SÁBADO DE MANHÃ MELHOR.

- O PALCO MAIS MANEIRO QUE EU JÁ VI, DEPOIS DO ROGER WATERS FOI O DO FLAMING LIPS

- JHONNY CASH, ELVIS, ROY ORBISON E JERRY LEE DEVERIAM TER FEITO ALGO JUNTOS

- TODOS OS RIFFS DAS MÚSICAS DO MICHAEL JACKSON SURPREENDEM

- O ERIC CLAPTON É O ÚNICO CARA CITADO TRÊS VEZES NO HALL DA FAMA DO ROCK'N ROLL

- O MELHOR GRUPO DE SAMBA QUE JÁ EXISTIU FOI O "ORIGINAIS DO SAMBA", MESMO DESAFINANDO.

- O ANDERSON LEONARDO DO "MOLEJO" É UM GÊNIO.

- ULTRAJE À RIGOR É INCRÍVEL

- ROGÉRIO SKYLAB PERDEU A MÃO.

- "CAMILLE" É UMA FRANCESA ESQUISITA MAS QUE CANTANDO DÁ TESÃO

- HARRY BELAFONTE TEM MUITO MAIS MÚSICAS MANEIRAS DO QUE SE IMAGINA. "JAMAICA FARREWEL" É UMA DELAS

- NÃO EXISTE SOLO DE GAITA MAIS IRADO DO QUE O DE "MAYBE I'M WRONG" DO BLUES TRAVELLER

- "EU QUERO MAIS", COM RAUL, É A MÚSICA MAIS MANEIRA QUE A WANDERLÉA JÁ PÔDE CANTAR.

- NORAH JONES...HUMMM...NORAH JONES...

- NINGUÉM ME CONVENCE QUE "DAVE MATHEUS BAND" SURGIU DO ACASO NUMA GARAGEM.

- O SHOW DA ELBA É FODÃO.

- O DO GERALDO AZEVEDO É ÍNTIMISTA

- O DO ALCEU É UMA COMÉDIA

- O DO ZÉ RAMALHO É UM PORRE

- A MELHOR MÚSICA DO ERASMO É "BANDA DOS CONTENTES".

- AH! EU QUERIA A FERGIE TAMBÉM...MEU DEUS.

- O CAETANO É UM MERDA.

09 fevereiro 2010

05 fevereiro 2010

DEUSINHO

Diferente do que a ciência nos diz
E longe do que afirma a religião
Trago a notícia feliz
Que o universo é infinito não

Acima do breu que se vai
indiferente a cristãos e ateus
Existe o Pai de nosso Pai
Reside o Deus de nosso Deus

Reza lenda muito antiga
Muito antes de bem e mal
Deus pai criou o infinito
Para ser mero quintal

Pátio pra Deus menino
Que vivia cheio de idéias
Sujando toda a casa de argila
durante o período de férias

E o papo do infinito
Foi carinho de pai
"Aqui é tudo seu
até onde a vista vai"

Deus menino animado
Não percebeu o muro
Porque Deus Pai, malandramente
Deixou tudo muito escuro

E o resto a gente sabe
Melhor do que ninguém
Deus ficando bom de barro
fez Homem, Mulher e neném.

Mas como o barro também era filho
E todo filho quer explicação
Deus menino se viu crescido
No que não era sua função

O menino era só um artista
Decidido a brincar
Nunca lhe passou pela cabeça
Que tudo aquilo iria desandar

E chorou como criança
(Até porque criança era)
Quando viu a fome, a raiva
a dor, a carne o sangue e a guerra.

Ali a brincadeira acabou
Deus menino quis mais nada
Mesmo assim ninguém aqui pensou
Naquela criança assustada

Deus Pai o pos no colo
E disse "liga não,
Você já os fez grandinhos
Acharão a solução"

Mas o homem faz-se bobo
pede ajuda, arrota herança
e pra dar tiro no outro
Joga a culpa na criança

"Deus tá vendo"
"Ouça a minha prece"
"Por favor não me abandone"
"Tudo posso naquele que me fortalece"

E hoje, vez ou outra
Deusinho pinta la no quintal
Com o mesmo amor que teve
Ao criar o brinquedo colossal

E sendo assim então eu peço
Não se esqueçam do menino
Aquele dos dedinhos pequenos
Que nos criou sorrindo

E quando for pedir ajuda
Para aquele seu sufoco
Lembre do menino assustado
Deixa ele dormir um pouco.

APELINHO DE LEVE




SAUDADES DE LER O TOBÉ




04 fevereiro 2010

NUM BLOQUINHO QUALQUER

Cara1:  Está faltando alguma coisa...

Cara2: Tipo o que?

Cara1: Não sei bem o que é, mas tem alguma coisa errada...

Cara3: Cerveja?

Cara1: Eu quero.

Cara2: Eu vou.

Cara3: Latão ou Latinha?

Cara1: Vê se tem promoção...

Cara3: Latão - 2 por 5. Latinha - 3 por 6.

Cara2: Tenta conseguir três latinhas por cinco...

Cara3: Nunca rola.

Cara1: Mas tenta...

Cara3: Nunca rola.

Cara2: Deixa que eu vou.

Cara2 sai.

Cara1: Você tá sem grana né?

Cara3: Sempre.

Cara1: Ele sempre cai nessa.

Cara3: É...a próxima rodada é sua.

Cara1: Porra...tá foda...

Cara3: Ah qualé ? Segunda eu te pago...

Cara1: Não é isso...tá faltando alguma coisa...não lembro o que pode ser...

Cara3: Isso é uma merda mesmo.

Cara1: Não consigo...não consigo...

Cara3: Uma vez eu tentei lembrar o nome de uma banda e passei o dia inteiro pensando nisso. Almocei pensando nisso, tomei banho, saí, passei a tarde inteira pensando e nada. De noite eu tentei dormir e não conseguia porque não lembrava a bosta do nome da banda...

Cara2 volta.

Cara2: Aí...podem agradecer! Três latinhas por cinco!

Cara1: Boa!

Cara3: Demais, você é foda mesmo...

Cara1: Mas e aí?

Cara3: E aí, que eu tinha que acordar cedo no dia seguinte e não conseguia pregar o olho por causa da banda...

Cara2: Isso é horrível! Lá no prédio têm uma dessas bandinhas de garotada e eles ensaiam até tarde também...

Cara3: Cala a boca.

Cara2: Porque?

Cara1: Ele tá falando de outra coisa...

Cara2: Ah tá, desculpa...

Cara3: Tá. Aí quando já era, sei lá, três da manhã, meu corpo desistiu de continuar tentando e eu acabei dormindo sem lembrar o nome da merda da banda...

Cara2: Ahhh saquei...isso é horrível, eu também vivo esquecendo...

Cara3: Você vai mesmo continuar falando?

Cara1: Calma aí, cara...deixa ele terminar...

Cara2: Foi mal.

Cara1: Eu não conseguiria dormir...

Cara3: Pois é, crianças, se quiserem eu termino a estória.

Cara2: Eu já tô quieto.

Cara3: Cala a boca. Então, quando foi umas cinco e meia eu acordei num pulo gritando o nome da banda. Como se a cabeça tivesse continuado a procurar enquanto eu dormia, sacou? Foi um pulo mesmo e "Plá" saiu o nome.

Cara1: Quer dizer que se eu desistir de pensar no que está faltando eu provavelmente descobriria sem querer?

Cara3: Não...sei lá...foi só uma coisa que aconteceu comigo.

Cara2: Comigo foi meio diferente...

Cara1 ( interrompendo): Mas é inconsciente. Eu não consigo pensar em outra coisa...

Cara3: É, tenta achar dicas...você sabe pelo menos o tema?

Cara1: Não era um nome, era uma coisa...sei lá, uma sensação de que falta algo...

Cara3: Poderia ser alguém ao invés de algo?

Cara2: Eu sei o que tá faltando.

Cara3: Então fala, gênio.

Cara1: Você sabe?

Cara2: Claro...e olha só, cara ( para cara 3 ) pode parar com a irônia, falou? Gênio ou não, fui eu que comprei três latinhas por cinco!

Cara1: O que é que tá faltando?

Cara3: Ahh me desculpe, gênio, eu tinha me esquecido dessa sua proeza. Aliás, tá na hora da segunda rodada...

Cara1: Eu vou...qual é o isopor?

Cara2: Não sei se você vai conseguir...

Cara1: Tá, mas me diz qual é o isopor...

Cara2: Aquele ali com um guarda-sol azul.

Cara1: Beleza.

Cara1 sai.

Silêncio.

Cara2: E aí, qual era o nome?

Cara3: O que?

Cara2: Qual era o nome da banda?

Silêncio.

Cara2: Tô falando contigo, cara!

Cara3: Cala a boca, eu tô tentando lembrar o nome...

Cara2: Da banda?!

Cara3: Não...daquela amiga gorda do Everton. Claro que é o nome da banda!

Cara2: Que amiga gorda do Everton?

Cara3: Puta merda, eu não acredito...

Cara2: Eu não lembro de nenhuma amiga gorda do Everton...

Cara3: Cara, se você continuar falando, eu vou até aquela barraquinha de churrasco, vou pegar 23 espetos de salsichão e cravar tudo no seu rabo.

Cara2: Vai ficar nervosinho porque esqueceu o nome da banda?

Cara3: Eu preciso de outra cerveja...

Cara1 volta.

Cara1: Tenho uma boa e uma má notícia.

Cara2: Nós temos uma boa notíca má...hahahaha....

Cara3 ( para cara1): Pelo amor de Deus dá um tiro nele...

Cara1: A má notícia é que o cara não faz três latinhas por cinco.

Cara2: Eu falei que talvez você não fosse conseguir...

Cara1: Cala a boca.

Cara2: Poxa, até você?!

Cara1: Ele não fez à cinco pra você...tu é um belo dum mentiroso...

Cara2: Como assim? Você foi em qual isopor?

Cara3: Mentiroso...

Cara1 : Fui no da barraca azul, que você falou...

Cara2: Eu não disse barraca azul, eu falei amarela...

Cara1: Azul...

Cara2: Eu disse amarela.

Cara1 ( para cara3) : Ele não disse azul?

Cara3: A. A. B. C. C....D...

Cara2: Hum?!?

Cara1: Que isso?

Cara3: O nome da banda, cara. Eu vou lembrar...

Cara1: Desencana...ó, o fato é que você é um mentiroso. Eu fiquei lá desenrolando com o cara e disse que ele tinha feito três latinhas por cinco prum amigo meu. Ele disse que não.

Cara2: Se ele soubesse que era eu...

Cara1: Eu apontei pra você...(para Cara3) é brasileira?

Cara3: Não...G. H....

Cara2: Ele deve ter confundido...

Cara1: Porque você não diz logo que pagou seis reais? O mundo não vai acabar por causa disso...

Cara2: Eu paguei cinco poxa!

Cara1: Foda-se..a boa notícia é que eu lembrei o que tava faltando!

Cara2: Ei...falando nisso, tu conhece alguma amiga gorda do Everton?

Cara1: Gorda?

Cara3: É um som meio rock, meio hip-hop...porra...tem uns riffs conhecidaços...

Cara1: Red Hot?

Cara2: Não...

Cara3: Quem é você pra dizer que não é? A banda é minha...

Cara2: Ninguém pode esquecer o nome do Red Hot...é muito fácil...

Cara1: O Everton tem amiga gorda?

Cara2: Foi ele que disse...

Cara3: Eu não disse nada...

Cara1: Tá...o que tava faltando era crianças com espuma...esse bloco não tem crianças com espuma...

Cara2: Nossa...é verdade!

Cara3: Porra, você tava queimando a mufa por causa de crianças com espuma?

Cara1: Faz falta! Bloco que é bloco tem que ter aquele bando de crianças enchendo o saco com espuma...

Cara2: Aquilo é muito inconveniente...

Cara3: Você é muito inconveniente.

Cara2: Que que eu te fiz?! Falaí!

Cara1: Bodycount?

Cara3: Não...é mais fácil que isso...é mais conhecida...

Cara2: Porra ... sacanagem...

Cara1: O que?

Cara2: Ficar me cortando assim..eu não fiz nada de errado...

Cara3: Sacanagem é a Marcinha ter engordado daquele jeito...

Cara1: Nossa, nem fala, ela era muito gostosa...

Cara2: É verdade...

Cara3: Eu comeria assim mesmo...

Cara2: Nenhum de nós conseguiria comer a Marcinha...

Cara1: Ela tá muito gorda...

Cara2: Mas ela não daria pra gente.

Cara3: Daria sim. Ela tá gorda. Baixa estima.

Cara1: É verdade.

Cara2: Nossa...a Marcinha é a nossa gorda!

Cara1: Calma, também não é pra tanto...

Cara2: A Marcinha é amiga do Everton.

Cara3: Podes crer...

Cara2: Ahaaa! Me manda calar a boca agora!

Cara3: Cala a boca. ( para cara1) Sabe o final de Matrix?

Cara1: Sei.

Cara2: Um, dois ou três?

Cara3: Eu falei algum número?

Cara2: Não.

Cara3: Então o que que você acha?

Cara1: Que que tem o final de Matrix?

Cara3: Quando o Neil sai voando...

Cara1: Ahhhhh tô ligado...já sei qualé a música...

Cara3: Pois é...qual é o nome da banda?

Cara2: Aí...( para cara3) tua vez da cerveja.

Cara3: Eu não tenho dinheiro.

Cara2: Porra...de novo?!

Cara1: Relaxa, no próximo bloco ele acerta.

Cara3: Pois é. É a sua vez, mentiroso.

Cara2: Eu não menti, droga.

Cara1: Mentiu sim.

Cara2: Porra..quer saber? Ele fez à cinco e cinquenta. Pronto. Falei.. Satisfeitos?

Cara3: Não...

Cara1: Ele não fez a cinco e cinquenta. Eu perguntei no final de tudo se ele faria pelo menos à cinco e cinquenta e ele disse que não.

Cara2: Isso foi na barraca Azul!

Cara1: Você disse barraca azul.

Cara2: Amarela

Cara1: Azul

Cara3: Foda-se.

Cara2: Foda-se você...você deveria ficar quieto. Taí bebendo de graça e fica cantando de galo.

Cara3: Eu disse foda-se pra cor da barraca, porque eu sei que você conseguiria cerveja por cinco e cinquenta em qualquer uma delas...

Cara2: É isso aí!

Cara3: Então prova pra ele.

Cara2: Vou lá...fica olhando, ó!

Cara2 sai.

Cara1: Ele caiu de novo.

Cara3: Fácil.

Cara1: Você comeria a Marcinha gorda daquele jeito?

Cara3: Fácil.

Silêncio.

Cara3: Você não?

Cara1: Não sei...não tinha pensado ainda nesse lance da baixa estima.

Cara3: Pois é...mulher gostosa quando engorda, fica tudo mais...

Cara1: Fácil.

Cara3: Aquela criança ali tá com espuma...

Cara1: Eu vi...me deu um alívio...

Cara2 chega.

Cara2: Taqui ó...cinco e cinquenta na barraca azul!

Cara1: Brilhante!

Cara3: Passa pra cá.

Cara2: E pra você ( para cara1) ali tem uma criança com espuma...

Cara1: Eu já tinha visto.

Cara2: Sabe do que que eu lembrei?

Cara3: Sei.

Cara2: Sabe?!

Cara3: Claro que não. É óbvio que a gente não sabe do que você lembrou.

Cara2: Poxa, mas você é implicante mesmo, hein...

Cara1: Colé galera, chega...

Cara3: Fazer o que, né...vai ver é um dom...

Cara2: É um dom horrível...

Cara1: Colé galera...

Cara3: O teu é lindo né?

Cara2: O meu o que?

Cara3: O teu dom da mentira...

Cara2: Poxa, eu não menti, que droga !!!

Cara1: Porque você não fala do que você lembrou?

Cara2: Porque agora eu quero mais que se dane...

Cara1: Falaí...a gente quer ouvir...

Cara3:  Eu não tô nem aí...

Cara2: Não tá nem aí, né? Então segura essa, sabichão: Rage Against the Machine.

Cara3: Caralho!!!

Cara1: Puta merda...podes crer!

Cara3: Po cara, que alívio...

Cara2: Não era o Rage Against? Hein?

Cara1: Claro que é...

Cara3: Exatamente eles...po...foi mal, valeu mesmo.

Cara2: Tá, deixa pra lá. Eu lembrei porque quando eu fui ver Matrix no cinema, eu fui com a minha mãe e...

Cara3: Cala a boca.

03 fevereiro 2010

EU FALARIA ALGO

Mas não. Não tem por quê. O vídeo em si já é absolutamente inacreditável.
Sabe aquele papo do "Uma camera na mão e uma idéia na cabeça"? Então, não levem isso tão a sério...

29 janeiro 2010

RESPEITE A JANELA

Respeite a janela
Seus tons e cores
Brigas e amores
Risos e dores
que passam por dentro
e por fora dela.

Respeite a janela
como velha anciã
uma amiga, irmã
que durante todo tempo
Trouxe chuva, sol e vento
O ontem e o amanhã.

Porém acima de tudo
Ali onde se ergueu o muro
De forma simples e segura
Apesar do isolamento
Nos livrou da loucura
Mostrando o que há lá fora
Pra tudo que se tem por dentro.

Respeite a janela
Como a quem te ensinou
Que existe o chão com quem fica
E o céu com quem nos deixou

Ela é berço de quem prefere o escuro
É grito de quem recebe o dia
É mãe de quem chora mudo
É passagem entre você e a vida.

24 janeiro 2010

23 janeiro 2010

YEAH!!!

O que tem a ver o título com o texto? Nada.
Tirando o fato de que o vídeo me trouxe dúvidas. Tonteou ou foi mais uma dessas maneiras escalafobéticas que os americanos têm de comemorar?

18 janeiro 2010

ALI LONGE

Ele trabalhava em uma locadora perto do Cantagalo.

Ela era secretária de um dentista hipnólogo, em Ipanema, quase Leblon.

Ele passava os Domingos vendo filmes recém chegados à loja e na Segunda-feira destilava uma enxurrada de dicas ao primeiro cliente que chegasse. Os filmes eram assistidos à base de amendoim caramelado que ele aprendeu a fazer com a avó, há tempos atrás. A receita era simples e rápida, assim como ele.

Ela sempre dormia o Domingo quase todo. Quase. Lá prás cinco da tarde, dava fim ao rola-pra-cá-rola-pra-lá na cama e ia até a locadora no Grajaú. Domingo a locadora fecha às 15. Ela nunca lembrava. Acabava vendo o Domingo Maior com seus Van Dammes e Charlies Bronsons à deriva. No fundo, ela gostava mesmo era daquilo ali. "Desejo de Matar" (Somente as continuações, o primeiro não atingia a tosquice necessária) e "Soldado Universal". Achava o Steve Segal muito bichona, e o Chuck Norris fazia a sobrancelha. Péssimo. Adorava amendoim caramelado, mas assim como a locadora, Domingo não tinha amendoim na rua...e ela sempre esquecia.

Ele nunca, jamais, em hipótese alguma esqueceu um DVD sequer no aparelho. Regras são regras! Quando lançaram a mídia de disquinho ele passou uns cinco meses tentando rebobinar o DVD, mesmo depois de entender que não era necessário. Precaução. Gostava do Tim Burton, Dany Boyle e Tarantino ( "Não de tudo que ele faz, só de algumas coisas", dizia ele ). Nunca gostou dos filmes de ação, achava uma barbaridade gastar dinheiro com produções enlatadas para suprimento da virilidade da alma masculina. Sempre que seu chefe não estava olhando, tirava os filmes de ação da estante de sugeridos, afinal, o Steve Seagal era uma bichona e o Chuck Norris fazia a sobrancelha...peralá!

Ela malhava, não tinha cachorro ( achava um saco ter que passear com eles ), e adorava futebol. Gostava mesmo era de "mulheres de gostam de futebol", achava que esse ligeiro desvio feminino era muito charmoso e com tempo aderiu às torcedoras incondicionais do Vasco.

Ele tentou malhar quinhentas vezes. na verdade, falando a verdade, foram dezessete tentativas. A mais promissora durou três meses. Tinha cachorro ( achava um saco ter que passear com ele ) e detestava futebol. Porém, achava um charme mulheres fanáticas por seus times e por isso dedicava algumas horas da sua vida pesquisando no Google sobre contratações de craques, gols da rodada e classificações, afinal era só aí que o papo futebolístico interessava. Não tinha time, mas por via das dúvidas era Flamenguista. Todo homem tinha que ser.

Ela andava sempre de vestidinho curto. Morava no Rio, pô. "Mó calor!". No fundo sabia do efeito que a academia e a genética unidas tinha sob suas coxas gostosas e a bunda. Apesar de entortar milhares de pescoços por dia, ela sempre achava que tinha que malhar mais. "A carne que forma a criança, quando a mulher está grávida, vem da bunda. Depois que tem a criança, a mulher perde quase 30% da bunda". Leu isso num site sobre curiosidades cretinas. Adorava cultura inútil numa proporção quase igual ao medo da bunda cair. Não tinha planos para engravidar, mas sempre sonhou em ter filhos. Muitos. Quatro era o mínimo.

Ele se vestia do que estivesse limpo para vestir. No fim das contas, quase sempre era uma camiseta encardida e uma calça jeans velha. As vezes sentia calor e pensava em sair de bermuda. Mas ele usava barba, e achava meio patético um cara de barba usar bermuda. Era o máximo ( e bizarro detalhe ) de preocupação que tinha com sua aparência. De resto, sabia que era um Nerd, e sempre viveu como um. Não era feio, as meninas diziam, mas precisava se cuidar. "As mulheres buscam beleza nos homens para diversão e alimentação do ego. 80% das mulheres esquecem desse quesito quando querem algo mais sério. A beleza é o principal gerador de insegurança nas mulheres". Leu isso num site de cultura inútil, que ele não admitia gostar, mas sabia tudo sobre. "Li isso porque pretendo ter mulher e filhos, muitos filhos. Quatro no mínimo".

Ela chegava quase sempre atrasada no trabalho, por dois motivos: O 435 dava a volta no mundo e ela sempre deixava para colocar música no seu I-Pod de manhã. Na verdade era um mp3 player da Uruguaiana. Achava meio absurdo gastar dinheiro com "marcas" quando se podia achar a mesma invenção mais barato. Adorava aquela invenção. ela gostava de Tecno, House, algumas coisas de Blues e Funk ( não dá pra não dançar). Porém, sempre teve uma queda por Bruno e Marrone, mas tinha vergonha. Antigamente jamais, em hipotese alguma, entraria numa loja de CD's atrás de um disco deles. Nunca! Que vexame. Depois do I-Pod, ela tinha a segurança do lar para baixar toda a discografia da dupla. Sabia as músicas decor e tinha que se segurar para não canta-las em voz alta quando estava na rua. Em casa ela cantava berrando mesmo.

Ele abria a locadora. Era pontualíssimo e seguia a risca as próprias regras. Acordava às 6 da manhã todos os dias por dois motivos: o 435 dava a volta ao mundo e tinha que cuidar do cachorro. Graças a Deus ele tinha um I-Pod. Autêntico. Tinha pavor das imitações da Uruguaiana e aquela maçãzinha mordida lhe dava um certo orgulho. Sem o aparelho suas manhãs não tinham graça. Naqueles 30 gigas de memória estavam seus àlbum preferidos. Dos clássicos Jethro Tull e Pink Floyd à pancadaria do Slayer e Megadeth. Tudo organizado em pastinhas separadas com o nome e a capa de cada disco. Menos uma. Aquela pasta exibia só as letras "MB" porque ninguém na face da terra podia saber da sua paixão por Bruno e Marrone. A desculpa praquilo era ensaiada e ele usava sempre para ele mesmo. " Pô, olha a voz desse Bruno. O cara é rock!". Tinha a discografia completa. às vezes tinha que se segurar na rua para não imitar os acordes de "vai dar namoro" com sua guitarra imaginária. Em casa ele deslizava pelo chão de joelhos.

E todos os dias, lá estavam os dois no ponto do 435.
Cada um com seus fones devidamente conectados ao ouvido e ouvindo " Trânsito Parado". Gostavam da música pela estória. A letra falava de um encontro casual no trânsito, desses que a gente fica sonhando por três dias. "depois é preciso acordar, senão a gente surta" - Diziam os dois.

Não era o caso deles. O encontro deles era diário. o mesmo ponto do 435. O mesmo horário. A mesma música. Lados opostos no banquinho de espera.

Nunca se falaram. Sequer se notaram. Mas Deus tem seus mistérios e um dia a bateria dos dois aparelhos irão acabar ao mesmo tempo. Sincronizadas. E eles acabarão se conhecendo.

"As chances das baterias acabarem ao mesmo tempo é de 0,21% por dia.". Estava escrito num site de cultura inútil. Os dois sabiam.

16 janeiro 2010

VÍDEOS INCRÍVEIS

Mais alguns vídeos onde milagrosamente ( e o que é uma pena ) ninguém saiu ferido!

RECEITAS DO DIA

UM GORDINHO + WEBCAM + TEMPO DE SOBRA + MUITA, MAIS MUITA TÉCNICA






ROUPA DE MAMÃE NOEL + VENTILADOR + VESTIDO DE DEBUTANTE + CHROMA KEY + PIANO QUEBRADO + DUBLAGEM + TRAVESTI EVANGÉLICO





UM PASTOR AMERICANO + PROGRAMA DE TV + EFEITOS SONOROS + EDITOR CRIATIVO


14 janeiro 2010

O INACREDITÁVEL SHOYU ANCIÃO.

Pois é, se você achou que eu viria com cinco mil palavras para contar o que é "o inacreditável shoyu ancião", se deu mal.
Porque tudo que eu posso dizer é que o inacreditável shoyu ancião é apenas um molho shoyu ancião mesmo. Mas é inacreditável.
Eu vi de perto!